Tempo seco: como proteger as crianças da gripe e resfriado?

Colaboração

Dra. Gabriela Dalvi, pediatra e hematologista pediátrica atuante no UMC

CRM 84106 – MG

A temperatura baixa favorece a proliferação de vírus, aumentando a incidência de infecções virais e de doenças respiratórias na população, como gripes e resfriados, principalmente durante o inverno, que ocorre entre 21 de junho e 23 de setembro. 

Outra característica desse período é o tempo seco, que pode provocar sintomas como a irritação no nariz, tosse, espirros, garganta seca, sangramento nasal e pele ressecada. 

E a frequência desses problemas é ainda maior entre as crianças. Acompanhe a leitura para entender quais medidas podem ser tomadas em caso de crianças doentes, com uma gripe, um resfriado ou outras doenças provocadas pelo clima frio e seco.

Índice

Crianças adoecem mais vezes

Geralmente, as crianças estão mais propensas do que os adultos a contraírem as doenças virais e respiratórias, devido ao sistema imunológico mais frágil e o histórico vacinal que, dependendo da idade, pode ainda estar incompleto.   

Quando uma criança tem contato com outra que vai à escola, ou chega a sua hora de frequentar esse local, a estatística é contrair, por ano, 10 a 15 infecções causadas por vírus. Isso significa que ela pode ficar doente uma ou mais vezes ao mês, mesmo que seja saudável. 

Quando levar a criança ao pronto-socorro?

No momento em que os sintomas de gripe começam, a recomendação é fazer lavagem das narinas, inalação com soro fisiológico e a ingestão de mel para as crianças maiores de 1 ano de idade. 

Não é aconselhado usar descongestionantes, por causa dos seus efeitos colaterais. Um estudo divulgado pela revista médica British Medical Journal afirma que o produto aplicado em crianças pode causar efeitos colaterais como sonolência, desconforto gastrointestinal, convulsões e até taquicardia.  

A tosse, febre ou coriza merecem ser avaliadas no pronto atendimento nos seguintes casos: febre por mais de 72 horas, cansaço para respirar, tosse e secreção sem melhora após 10 dias de sintomas, dor localizada na garganta, ouvido ou no peito. Ao notar sintomas, procure por um pediatra em Uberlândia!

Impactos do tempo seco podem ser amenizados

Alguns cuidados pessoais e com o ambiente ajudam a reduzir os impactos do tempo seco e contribuem para a preservação da saúde. São exemplos:

  • Umidificar o ambiente com vaporizantes, umidificadores, toalhas molhadas ou recipientes com água; 
  • Aplicar soro fisiológico no nariz e nos olhos para evitar ressecamento;
  • Consumir pelo menos dois litros de água por dia; 
  • Limpar a poeira acumulada e deixar a janela aberta para a circulação do ar. 

Como aumentar a imunidade das crianças?

Outra maneira de prevenção de resfriados e gripes neste período, é cuidar da imunidade das crianças para que tenham mais resistência às doenças. Para isso, não existe remédio específico que leve a aumentá-la. 

Mas, além do acompanhamento com um especialista, no caso o pediatra, há medidas que estimulam o sistema imunológico, e vão contribuir para uma boa imunidade infantil, e consequentemente diminuir as chances de sofrer com gripes e resfriados, como:

  • Ter uma boa rotina de sono;
  • Alimentação saudável;
  • Consumo de líquidos saudáveis, como água, suco natural e água de coco;
  • Contato com a natureza;
  • Carteira de vacinação em dia.

Você encontra inúmeros pediatras em Uberlândia no UMC, e assim, faz o acompanhamento com profissionais renomados e especializados.

Imunodeficiências

Uma criança pode pegar um vírus de resfriado ou gripe na sequência do outro e aparentar estar doente com frequência, mas isso não significa que ela possua alguma alteração no sistema imunológico.

Os sinais que podem indicar imunodeficiências e precisam ser avaliados por um especialista são:

  • Duas ou mais pneumonias no ano;
  • Quatro ou mais otites (infecções no ouvido) no último ano;
  • Estomatites  de repetição (feridas na boca) ou monilíase (sapinho) por mais de dois meses;
  • Abcessos de repetição ou ectima (infecções que produzem pus);
  • Um episódio de infecção sistêmica grave (meningite, osteoartrite, septicemia);
  • Infecções intestinais de repetição/diarréia crônica;
  • Asma grave, doença do colágeno ou doença autoimune;
  • Efeito adverso ao BCG e/ou infecção por microbactéria;
  • Fenótipo clínico sugestivo de síndrome associada à imunodeficiência. Isso significa que algumas características no físico da pessoa podem indicar que ela está mais vulnerável à determinada doença;
  • História familiar de imunodeficiência.

E em casos que seja necessário buscar o apoio do especialista, o médico pediatra em Uberlândia ideal, você encontra no UMC. Confira nosso corpo clínico aqui e agende sua consulta

Entre em contato conosco, será um prazer ajudar!

Referências: 

“As creches e pré-escolas e as doenças transmissíveis”, artigo publicado pela Sociedade Brasileira de Pediatria no Jornal de Pediatria.

“A criança com insuficiência respiratória recorrente: normal ou não?”, artigo publicado pelo jornal acadêmico Pediatric Allergy and Immunology, da Academia Europeia de Alergia e Imunologia Clínica.

FAQ

O que é uma gripe?

A gripe é uma doença respiratória causada por vírus. Os sintomas em crianças podem incluir febre, dor de garganta, tosse, espirros, congestão nasal, dores musculares e fadiga.

O que é um resfriado?

Assim como a gripe, o resfriado também é uma doença respiratória causada por diferentes tipos de vírus. No entanto, seus sintomas costumam ser mais leves do que os da gripe e incluem coriza, espirros, tosse leve, dor de garganta e congestão nasal.

Quando devo levar meu filho ao pediatra se ele estiver com gripe ou resfriado?

Caso a criança apresente sinais de complicações ou desconforto significativo, como febre alta, dificuldade respiratória e outros, é necessário procurar um pediatra.

Qual é a importância do pediatra no cuidado de crianças com gripe ou resfriado?

O pediatra desempenha um papel fundamental no cuidado das crianças. Isso porque, ele possui conhecimento para diagnosticar corretamente a doença, monitorar os sintomas e fornecer o tratamento adequado.

Compartilhe: