Saúde ocular: o que é a síndrome do olho seco e como se prevenir

Colaboração do Dr. Gustavo Albuquerque, especialista em Oftalmologia do Complexo UMC (CRM: 46097).

A síndrome do olho seco, uma doença que pode provocar a sensação de areia nos olhos, além de vermelhidão e coceira, torna-se mais frequente com a baixa umidade do ar que ocorre durante o outono e inverno, atrapalhando o bem-estar das pessoas. Por isso, a consulta com um oftalmologista em Uberlândia é importante e deve ser feita regularmente. Vamos explorar esse tema neste conteúdo, e aprender como podemos cuidar da nossa saúde ocular. 

Índice

O que causa a doença?

A lágrima tem a função de hidratar e proteger os nossos olhos. Quando elas não são produzidas adequadamente ou evaporam rápido, a síndrome do olho seco pode aparecer. 

Alguns fatores aumentam o risco da pessoa desenvolver a doença, como: 

Tempo seco

A baixa umidade do ar, comum no período do outono e do inverno no Brasil, favorece a secura ocular, diminuindo a qualidade e quantidade de lágrima produzida pelo paciente.

Uso prolongado de telas digitais

Olhar excessivamente para o celular, computador e televisão diminui o número de piscadas que renovam a lágrima.

Envelhecimento

Com o passar do tempo, o corpo humano passa a diminuir a produção de lágrimas e, consequentemente, a hidratação ocular fica mais comprometida.

Horas de sono

Dormir menos de seis horas prejudica a lubrificação dos olhos, tendo em vista que olhos cansados não produzem lágrimas suficientes.

Hormônios

Mulheres na menopausa apresentam queda no nível de hormônio, impactando nos tecidos oculares e na composição das lágrimas.

Outros fatores

Os olhos também podem ficar mais secos quando demoramos a piscar, além disso, estarmos expostos à fumaça e a equipamentos como o ar-condicionado e ventilador também impactam na hidratação dos olhos porque os deixam mais secos.

Sintomas

Os sintomas da Síndrome do Olho Seco variam de acordo com o paciente. Os mais comuns são: secura, vermelhidão, coceira, sensação de ter areia ou poeira nos olhos, ardor, aumento da sensibilidade à luz do sol, visão embaçada e lacrimação. 

Evite o uso de telas digitais

Como já explicamos, ficar várias horas mexendo no celular ou no computador pode agravar a síndrome do olho seco. Por isso, evite o uso excessivo das telas. Para amenizar a exposição, você pode diminuir a luminosidade do aparelho e posicioná-lo a 60 centímetros abaixo do nível dos olhos, além de se lembrar de piscar para ajudar na hidratação das estruturas. 

Se o computador for o seu instrumento de trabalho, programe pausas durante o expediente, mas sem olhar para o celular ou para a televisão. Direcione as suas vistas para algum ambiente externo, como uma janela. 

Tratamento

O tratamento da síndrome do olho seco é feito de acordo com as necessidades do paciente, diagnosticadas pelo oftalmologista em Uberlândia. Geralmente, são usados colírios que servem como lágrimas artificiais para o alívio dos sintomas, compressas mornas nos olhos e medicamentos anti-inflamatórios.

É importante investigar a causa do surgimento da síndrome para que ela não se torne pior ou cause outras complicações, além de reduzir o tempo que as vistas ficam expostas às telas dos celulares e dos computadores. 

Prevenção

De acordo com o Dr. Gustavo Albuquerque, oftalmologista do Complexo UMC, a prevenção tem a ver com os costumes do dia a dia: “eu sempre oriento os meus pacientes que a gente precisa ter uma boa noite de sono, lembrar de piscar bastante o olho, diminuir o tempo de exposição à tela e evitar ambientes que tenham ar-condicionado, ventiladores e muita poeira”. 

Dessa forma, são as atitudes saudáveis em nossa rotina que diminuem os riscos de desenvolvermos a síndrome do olho seco. Lembre-se de beber muita água para ajudar na hidratação do corpo e na produção das lágrimas. 

Encontre seu oftalmologista no UMC 

Você costuma sentir ardência, coceira, ou que existe areia em seus olhos? Esses sintomas podem ser de síndrome do olho seco. Agende sua consulta com um especialista de oftalmologia em Uberlândia

Encontre uma clínica oftalmológica em Uberlândia no Complexo UMC! Temos a melhor equipe de médicos especializados para o seu diagnóstico. 

Referências:

Dr. Gustavo Albuquerque, oftalmologista do UMC

Revista Brasileira de Oftalmologia

Secretaria do Estado de Saúde

FAQ

A síndrome do olho seco tem cura?

A síndrome do olho seco está entre as principais doenças dos olhos, é uma doença crônica e, portanto, não tem cura. Porém, o tratamento pode amenizar bastante os sintomas, visando o bem-estar do paciente.

Qual a diferença entre secura nos olhos e síndrome do olho seco?

Se a ardência, coceira e vermelhidão nos olhos não passarem de um dia, provavelmente é um incômodo temporário de secura nos olhos. Se os sintomas persistirem, é necessário investigar se você está desenvolvendo a síndrome do olho seco. Procure um oftalmologista!

As lentes de contato afetam a síndrome do olho seco?

As lentes de contato podem aumentar o risco da pessoa desenvolver a síndrome do olho seco, pois elas atuam como uma barreira, impedindo que a lágrima se espalhe pelo olho.

O paciente sente dor ao realizar o diagnóstico da síndrome do olho seco?

Não precisa ter medo. O oftalmologista vai avaliar qual exame é o mais adequado para saber se você desenvolveu a doença ou em qual nível ela está, mas, de modo geral, os procedimentos de diagnóstico da síndrome de olho seco não causam dor.

Compartilhe: