O que é a doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC)?

Segundo a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), há ao menos 6 milhões de pessoas que possuem a doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a doença é a terceira principal causa de morte no mundo. 

Você sabe o que é essa doença? Confira a seguir tudo o que você precisa saber, como sintomas, causas, diagnostico e muito mais:

Índice

O que é a doença pulmonar obstrutiva crônica?

A doença pulmonar obstrutiva crônica, também conhecida como DPOC, é uma condição pulmonar progressiva, que caracteriza-se pela obstrução do fluxo de ar nos pulmões. Isso acontece em decorrência da combinação de uma inflamação crônica e dos danos causados aos tecidos pulmonares.

Nesse sentido, a DPOC é caracterizada por duas condições: a bronquite crônica e o enfisema.

O que é bronquite crônica?

A bronquite crônica envolve a inflamação das vias aéreas dos pulmões, resultando em um aumento na produção de muco, e consequentemente, desencadeando crises de tosses persistentes.

O que é enfisema?

Enquanto o enfisema caracteriza-se pela destruição progressiva dos alvéolos nos pulmões, levando o órgão a perder a elasticidade, ocasionando em uma dificuldade para expirar o ar completamente.

Consequentemente, o órgão perde a capacidade de absorção do oxigênio e de eliminação do dióxido de carbono, comprometendo a importância do pulmão para o organismo.

Quais são as causas da DPOC?

O tabagismo é a principal causa da doença pulmonar obstrutiva crônica. Isso porque, a exposição à fumaça é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento da doença nos pacientes.

No entanto, até mesmo as pessoas que não fumam podem ser diagnosticadas com a doença, uma vez que a exposição a poluentes do ar, como a poluição atmosférica, fumaça de fogões a lenha e produtos químicos industriais, também pode contribuir diretamente para o desenvolvimento da DPOC.

Além dessas, existem outras causas de DPOC, como bronquite crônica, asma e alterações genéticas nos pulmões.

Os sintomas da DPOC

Os sintomas de DPOC podem variar de paciente para paciente, principalmente considerando o grau da doença. No geral, inclui:

  • Tosse persistente;
  • Expectoração de muco;
  • Falta de ar;
  • Dificuldade para respirar;
  • Chiado;
  • Cansaço;
  • Perda de peso;
  • Inchaço nos tornozelos, pernas ou pés.

Quais são as principais consequências?

Nos casos em que a doença pulmonar não é tratada corretamente, o paciente pode sofrer com diversas complicações extremamente graves. Isso porque, a DPOC afeta diretamente a qualidade de vida das pessoas, dificultando a realização de tarefas diárias, limitando a capacidade do paciente. 

Além disso, as pessoas diagnosticadas que não tratam a doença podem sofrer com infecções respiratórias recorrentes, como pneumonia e bronquite. Nos casos em que a progressão da doença não é devidamente controlada, o resultado pode ser a incapacidade do pulmão de exercer suas funções, ocasionando em uma insuficiência respiratória.

Como funciona o diagnóstico da DPOC?

O diagnóstico de DPOC é realizado pelo pneumologista, por meio da avaliação dos sintomas, do histórico de saúde, e principalmente, por meio da realização de exames físicos, como auscultação cardíaca e pulmonar.

Dependendo dos casos, o médico especialista também pode solicitar a realização de outros exames para complementar o diagnóstico, como radiografia do tórax, tomografia computadorizada, exames de sangue, gasometria arterial e espirometria.

O tratamento da doença

Embora a DPOC seja uma doença que não tem cura, o tratamento é algo extremamente importante para retardar a progressão da doença, manter a qualidade de vida dos pacientes, e principalmente, para aliviar os sintomas.

Nesse sentido, algumas das possibilidades de tratamentos, que podem ser combinadas entre si, são:

Mudança de hábitos

Como dito anteriormente, o tabagismo é a principal causa da DPOC. Nesse sentido, parar de fumar é algo essencial para evitar uma piora do quadro. Além disso, incluir outros hábitos saudáveis na rotina, como uma alimentação saudável e a realização de exercícios físicos é muito importante.

Uso de medicamentos

Medicamentos como mucolíticos, corticóides orais, broncodilatadores e antibióticos são muito importantes para a redução das inflamações, para abrir as vias aéreas e para aliviar os sintomas da doença.

Fisioterapia pulmonar

A realização de exercícios de fisioterapia pulmonar é fundamental para melhorar a capacidade do pulmão, trazendo grandes benefícios para a qualidade de vida do paciente.

Oxigenoterapia

Nos casos mais complexos, o uso de oxigênio suplementar pode ser extremamente necessário.

Cirurgia

Por fim, nos casos mais avançados da doença, o médico especialista pode indicar a realização de um procedimento cirúrgico. A cirurgia pode ser para uma redução do volume pulmonar ou em outros casos, para a realização de um transplante pulmonar.

Como evitar a doença pulmonar obstrutiva crônica?

A DPOC é uma das principais doenças do pulmão, que pode causar complicações extremamente graves e até mesmo ser fatal para alguns pacientes. Nesse sentido, saber como se proteger para prevenir a doença é algo fundamental. Algumas das medidas preventivas mais eficientes são:

  • Não fumar;
  • Evitar exposição a poluentes do ar;
  • Usar máscaras de proteção em ambientes poluídos;
  • Realizar exames de rotina.

A importância do diagnóstico precoce

O diagnóstico precoce da DPOC é muito importante, para garantir que os pacientes recebam o tratamento adequado e possam tomar medidas para retardar a progressão da doença. 

Uma vez que a detecção precoce permite aos médicos intervir de maneira eficiente, reduzindo os sintomas e melhorando a qualidade de vida dos pacientes. Nesse sentido, conte com os profissionais do Complexo UMC e cuide da saúde do seu pulmão.

Em caso de sintomas, ou apenas para realizar exames de rotina, agende sua consulta e conte conosco!

Referências:

A Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT)

FAQ

A DPOC tem cura?

A DPOC é uma condição pulmonar progressiva, caracterizada por uma obstrução crônica das vias aéreas, tornando a respiração difícil.

Qual é a importância do diagnóstico precoce da DPOC?

O diagnóstico precoce é essencial para iniciar o tratamento o mais cedo possível. Ajudando a aliviar os sintomas, melhorando a qualidade de vida e reduzindo o risco de complicações graves.

Qual a importância do acompanhamento com o pneumologista?

O acompanhamento com o pneumologista em Uberlândia é extremamente importante, para que a doença seja identificada e tratada no início.

Existem grupos de risco para a DPOC?

Sim, fumantes, ex-fumantes, pessoas que trabalham expostas a poluentes e as que possuem histórico familiar.

Compartilhe: